sexta-feira, 22 de julho de 2011

não me esforço muito para que as pessoas gostem de mim.
meu sorriso não é fácil, não saio de onde estou instalado confortavelmente pra abraçar, beijar ou apertar a mão de seu ninguém.
já ouvi muito que isso é arrogância, que agir assim é ser anti-social, e que isso tudo junto e misturado dá um coquetel molotov.
sou um cara tímido, hoje sei que admitir a timidez não faz com que ela passe. Se isso soa como arrogância, pedantismo, deixa rolar.
só gosto de respeitar a minha natureza, porque ela já foi muito desrespeitada. por mim e por outros.
gosto de ouvir as pessoas, falar e tocar nelas, mas a cara que elas fazem me intimida as vezes.
meu sonho mesmo é morar numa casa à beira da praia, sozinho, vendo pessoas só a cada trinta dias, vendo-as quando eu quiser vê-las, porque nem sempre quero.
as pessoas me encantam, e já estar o tempo todo encantado cansa muito, você dispende muita energia, é como se seu corpo ebulisse constantemente.

2 comentários:

Débora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Débora disse...

"não me esforço muito para que as pessoas gostem de mim.
meu sorriso não é fácil, não saio de onde estou instalado confortavelmente pra abraçar, beijar ou apertar a mão de seu ninguém.
já ouvi muito que isso é arrogância, que agir assim é ser anti-social (...) Se isso soa como arrogância, pedantismo, deixa rolar."

ao ler essa parte lembrei do meu namorado...


e essa última: "meu sonho mesmo é morar numa casa à beira da praia, (...) vendo pessoas só a cada trinta dias, vendo-as quando eu quiser vê-las, porque nem sempre quero.
as pessoas me encantam, e já estar o tempo todo encantado cansa muito, você dispende muita energia, é como se seu corpo ebulisse constantemente.


eu entendo perfeitamente.