domingo, 4 de dezembro de 2011

hoje eu estava começando a ter ciúmes, quase tive, estava tendo, mas deixei de ter quando lembrei de uma amiga que considero bastante madura, invejavelmente madura.
e num lapso de milésimos de segundos sustei meu ciúme. parou.
lembrei que tenho 28, quase 29 anos e que, bem, vamos lá, não é ridículo ter ciúmes, mas saber controlá-los é uma dádiva dos anos a mais no calendário.
sorri. não foi um sorriso irônico ou outro. apenas sorri e não tive mais ciúmes. não foi uma coisa mágica, mas foi interessantíssima.
como é bom ter 28 anos. o ciúme é um bicho sobre o qual eu também posso exercer controle, em certos momentos, e isso me fez muito feliz.
me sentí no paraíso por uns minutos.
é bom ter 28 anos. umas questões caducam e outras nascem.
a vida vai virando uma caixinha de bonecas russas, sabe, aquelas que você tira uma dentro das outras, da maior pra menor, a vida adquire outras perspectivas para as quais você pode olhar quando uma delas não vai bem.
vá lá, não é escapismo, porque ter 28 também me ensinou que ter perspectivas é uma boa forma de mexer os dados.

é esse o clima aí, malandro.

Um comentário:

Débora disse...

Como é bom sentir isso! :}